domingo, 20 de Julho de 2014

Primeira entrevista

Joana Couto de Sousa, advogada, é a nova presidente da concelhia de Viseu do CDS-PP.
Ligada a causas diversas e ao associativismo, vê a área de intervenção política como acto de cidadania e uma missão inadiável.
Tem ideias novas no seu programa e conta com a união de todos para as implementar, com pragmatismo e energia.
A sua vitalidade e carisma presentificam-se na conversa mantida com o Rua Direita.

domingo, 6 de Julho de 2014

Balanço eleições concelhias!

Caros militantes e simpatizantes

Com a realização das eleições concelhias que hoje, dia 5 de julho de 2014, tiveram lugar na sede, o CDS-PP Viseu vê chegar ao fim um período de vazio de liderança, fruto de circunstancias várias, agora superadas rumo a uma nova dinâmica. Este é um momento muito importante e muito especial para a estrutura do CDS-PP nesta cidade: com efeito, há muitos anos que o partido em Viseu não conseguia tamanha mobilização, o que é desde logo demonstrativo da força que o CDS-PP ganhou nas últimas autárquicas. Podemos afirmar, sem dúvida alguma, que, hoje, os destinos do CDS-PP, em Viseu, bem como os da própria cidade começaram a mudar.

A Comissão Politica Concelhia encabeçada por Joana Couto de Sousa saiu vencedora, a quem se saúda e de quem se espera agora voltar a recolocar o partido focalizado no Concelho, virado para as pessoas e para o interesse público.
A lista derrotada de Carlos Cunha, com uma votação muito expressiva, merece também o apreço pela alternativa democrática que ofereceu aos militantes e pela vitalidade que imprimiu no partido.
O amanhã começa agora e o CDS-PP Viseu conta com todos, militantes e simpatizantes, não para uma política de terra queimada mas sim para apresentar aos Viseenses uma política construtiva, de ideias e de projectos.

Resultados eleitorais de 5 de Julho

Realizaram-se dia 5 de Julho de 2014 das 18h às 20h as eleições para os órgãos concelhios de Viseu do CDS, assim como as eleições para delegados da estrutura concelhia à Assembleia Distrital. 
Dos 184 militantes inscritos com capacidade eleitoral, votaram 66 ou seja, 35,8% do universo eleitoral. Registou-se 1 abstenção o que perfaz um resultado favorável de 99,85%. 
Saiu vencedora a Lista A liderada por Joana Couto de Sousa com 33 votos contra 32 votos registados pela Lista B de Carlos Cunha. 
 Para as demais Assembleias, a lista B registou 34 votos contra 31 da lista A, com uma abstenção. 
A tomada de posse decorrerá brevemente – em hora e local a anunciar - onde serão apresentadas as linhas estratégicas para o mandato.

sexta-feira, 20 de Junho de 2014

Balanço da reunião de Câmara de 19Jun

A reunião de Câmara do passado dia 19 fica, uma vez mais, marcada pela apresentação por parte do Executivo de medidas avulso sem adequado planeamento nem rigor. Numa tentativa de branquear o passado e passivo da Expovis e encontrar solução para o atraso de planeamento sem definição estratégica clara para o evento cultural mais significativo do Concelho, a Feira de São Mateus o Executivo colocou à votação uma proposta de constituição de Associação privada sem fins lucrativos e denominada Marca Viseu que recebeu forte critica e voto negativo do Vereador do CDS presente na reunião, no que foi acompanhado no mesmo sentido pelos vereadores do PS. 
A Associação assim criada, cujos estatutos se encontram feridos de várias ilegalidades não esclarece se a defesa da “Marca Viseu”, fica em exclusivo nesta empresa, ou se é complementar ou concorrente com as instituições que já hoje fazem essa promoção, não se percebendo o que irá o Executivo destinar ao fórum Viseu Cultura, apresentado com tanta pompa e circunstância, como sendo o veiculo capaz de promover a “cidade região” ao terceiro lugar duma qualquer classificação dos quais não se conhece também nem sequer referencial. Por outro lado e numa clara violação da lei a falta o estudo de viabilidade económico financeira – artigo 32º da Lei n.º 50/2012, de 31 de Agosto – diz bem do rigor e do desprezo que o Executivo empresta aos valores da transparência e gestão dos recursos financeiros que o Estado coloca ao seu dispor. 

sexta-feira, 9 de Maio de 2014

Balanço da reunião de Câmara de 08Mai

Em mais uma reunião da Autarquia, o Executivo anunciou mais uma medida tendente a apagar o passado com a extinção dos chamados Jogos Desportivos que tinham já mais de 2 décadas de existência propondo em sua substituição os jogos inter-escolas indo ao encontro de mais um principio defendido pelo CDS-PP na campanha no sentido de ser alargada a oferta de actividades extra-curriculares com programas desportivos além dos espectáculos, oficinas de formação e intercâmbios escolares que o CDS-PP também preconiza. Nesta matéria o CDS-PP defendeu que não pode ser descurado o importante papel do movimento associativo, das colectividades da Cidade e do voluntariado, que em parceria com os agentes económicos e académicos de Viseu podem criar sinergias capazes de desenhar uma agenda integrada que permita uma maior abrangência em termos de Actividades Físicas e Desportivas e sustentabilidade do sector mas regista com agrado esta ideia do Executivo de criar condições para estimular de forma mais intensa e verdadeira o desporto pré –escolar, escolar e amador. 

terça-feira, 6 de Maio de 2014

Queixa ao MP sobre a Lusitânia, ADR

Informam-se os militantes e simpatizantes de que o CDS-PP depois de ter colocado uma última vez na AIM de 30 de Abril o repto à CIMVDL para que esclareça o segredo à volta da Lusitânia ou que solicite ao MP que o faça caso não tenha outros meios de o conseguir recebeu como resposta de José Morgado, actual presidente da CIMVDL que a Lusitânia é um dossier sobre o qual a CIMVDL não tem no momento qualquer responsabilidade e como tal nenhuma posição será tomada pela Comunidade que agora preside. Assim sendo, não restou alternativa ao CDS-PP senão assumir essa responsabilidade junto dessa entidade judicial através da assesssoria juridica do Partido. 
O assunto ficará agora em segredo de justiça pelo que o CDS-PP não fará algum comentário adicional a este propósito e aguardará serenamente que a Justiça actue em em respeito pelo eleitorado e todos os habitantes da região Viseu - Dão Lafões.

segunda-feira, 3 de Março de 2014

Assembleia Municipal de 28 de Fevereiro de 2014

Na última Assembleia Municipal, realizada a 28 de Fevereiro de 2014 , o CDS-PP realizou três intervenções de fundo, pela voz dos seus deputados Municipais. 

Assim, o grupo municipal do CDS-PP, através da Deputada Elsa Lemos, propôs a adopção das seguintes medidas para as escolas do concelho: 
- Construção de espaços cobertos exteriores nas escolas onde não existam como é o caso por exemplo da Escola Mestre Arnaldo Malho; 
- Apreciação das condições físicas de segurança das escolas e adopção de normas e instalação de vedação e portões de segurança onde não existam; 
- Instalação e melhoria dos sistemas de arejamento e aquecimento central das escolas onde isso ainda seja necessário; 
 - Substituição imediata das telhas e outros materiais de fibrocimento no caso de existirem ainda escolas com materiais que contêm substâncias cancerígenas; 
- Melhoria das condições de trabalho geral das escolas, com colocação de telas ou persianas nas janelas, pintura geral, substituição de equipamentos e materiais pedagógicos deteriorados, etc; 
- Definição em concreto das actividades previstas para a formação suplementar musical, artística ou desportiva prevista para o ano lectivo em curso e difusão atempada aos encarregados de educação desses programas. 

Pela voz do Deputado Carlos Cunha, o CDS-PP, levantou uma série de questões relacionadas com o que pretende fazer o actual executivo na Quinta da Cruz, uma vez que um espaço que custou 1 200 000€ não pode estar fechado, devendo ser colocado o mais rapidamente possível à disposição de todos os viseenses. 
Numa última intervenção, o CDS-PP, através do Deputado Municipal Fernando Figueiredo, confrontou o actual executivo com as incongruências visiveis entre o que é dito pelo gabinete de comunicação do actual executivo e o que é feito no terreno. Tendo sido ainda apresentada uma moção propondo que a Assembleia Municipal da Viseu condene que milhares de cidadãos viseenses deixassem de ter acesso ao serviço público de televisão pelo facto de se encontrarem em zonas «sombra» criadas pela própria PT e solicitam ao Governo que tome as medidas correctivas necessárias para eliminar estes problemas. Esta moção foi aprovada por unanimidade e irá agora ser enviada ao Governo. 

O CDS-PP, através de requerimento, ainda solicitou diversa informação relativa à EXPOVIS nomeadamente que: 
1. Seja disponibilizado o Relatório de Gestão e Contas do Exercício relativo aos anos de 2011, 2012 e 2013, se já disponível; 
2. a) Seja indicado o valor da participação no capital social da sociedade por parte da CMV;
b) Como se espera recuperar esse valor com a extinção da sociedade; 
3. a) A que se refere em concreto a afirmação de falta de enquadramento legal; 
b) A indicação da última revisão dos Estatutos conhecida que seria a referida falta de enquadramento legal; 
c) A indicação da entidade ou jurista que na sociedade teria a responsabilidade da fiscalização e regularização legislativa; 
4. Seja disponibilizadas as actas relativas ao último ano de exercício e a acta da assembleia que decide da extinção da sociedade; 
5. a) O quadro de pessoal afecto à sociedade e o valor dos vencimentos correspondentes;
b) A indicação de eventuais avençados e os valores pagos nessas avenças; 
c) A data da admissão de eventuais avençados e as razões justificativas da necessidade suplementar dessa prestação de serviços; 
6. Quais as entidades que participarão na sociedade e como garantirá a CMV através dela que os objectivos e garantias de realização dos eventos pretendidos, e em particular a Feira de São Mateus, serão prosseguidos; 
7. No caso de eventual prejuízo futuro resultante do exercício dessa sociedade que peso se estima poderá vir a representar no orçamento da CMV ou como se equaciona assegurar que tal não se venha a verificar.