quinta-feira, 13 de Novembro de 2014

Resposta ao PSD Viseu



Na sequência da publicação do pretérito dia 12, no jornal online Viseu Mais, onde de forma vexatória e atentatória dos mais elementares princípios que devem pautar o exercício da nobre actividade politica, não pode a Concelhia do CDS/PP de Viseu, deixar de tomar posição e tecer quanto à mesma, os seguintes considerandos:
Na publicação que ora se repudia, são proferidas expressões que de forma gratuita e totalmente injustificada, ofendem todos aqueles que contribuíram para a eleição do vereador do CDS/PP, Helder Amaral, que ao longo do tempo já deu provas que, representa de forma exemplar, o múnus de que foi investido.
Com efeito, a sua prática, já longa, do exercício de cargos políticos, não se compadece com a imputação que através do mesmo lhe é feita, de que o Sr. Vereador, “cria factos políticos em face do vazio de propostas credíveis”.
Esta imputação, desonrosa e ofensiva, e conforme o PSD bem sabe, não traduz a realidade que ao longo de um ano de exercício de mandato, tem caracterizado o CDS/PP em sede parlamentar.

segunda-feira, 10 de Novembro de 2014

Comunicado - Assembleia Municipal de 10 de Novembro

Esta Segunda-Feira, dia 10 de Novembro de 2014, decorreu mais uma sessão ordinária da Assembleia Municipal de Viseu. Na ordem do dia estava a apreciação e votação da proposta de Orçamento Municipal e grandes opções do plano para o ano de 2015. Em representação do CDS-PP estiverem presentes os deputados à assembleia bem como o vereador Hélder Amaral. Tal como na última reunião de câmara o CDS-PP votou contra esta proposta de Orçamento. O voto negativo justifica-se na medida em que atendendo boa saúde financeira da autarquia há margem para uma redução da participação variável do IRS. Deste modo, o CDS-PP propôs uma participação de 0% do município de Viseu para os sujeitos passivos com domínio fiscal no concelho, tal medida permitiria um incremento no rendimento disponível das famílias, sob a forma da devolução de 5% do IRS aos munícipes, aumentaria o seu rendimento, dinamizaria o consumo privado e teria um "efeito de cascata" sobre a dinâmica empresarial e sobre a atractividade do concelho. O CDS-PP também gostaria de ver uma redução fiscal para as empresas, comércio e sobretudo uma maior protecção das famílias que são proprietárias da sua casa. Esta prioridade que passa pelo reforço da Isenção Permanente e pela introdução das Cláusulas de Salvaguarda que a coligação já assegurou em OE, passa contudo também por políticas de moderação fiscal ao nível das taxas do IMI aplicadas em cada município. Nas câmaras governadas pelo CDS as taxas são sempre as mais reduzidas, variando entre 0.3 e 0.35 e até inferiores graças a uma gestão controlada da despesa municipal que permite favorecer as famílias. 

terça-feira, 28 de Outubro de 2014

Oposição firme, atenta e exigente!


COMUNICADO
Contrariamente ao que possa transparecer na opinião pública viseense, por ausência de mediatismo a que o partido é alheio, o CDS-PP Viseu continua através do seu vereador e deputados municipais a efectuar uma oposição firme, atenta e exigente.
Da revisão dos critérios dos apoios financeiros a clubes e associações a que o executivo se sentiu na necessidade de analisar depois das críticas apontadas pelo Vereador em reunião de câmara até ao episódio recente da forma pouco democrática e pouco cordial como o Presidente da CMV reagiu às legitimas questões colocadas por Hélder Amaral sobre a contratação de pessoal no SMAS são sinais evidentes que a oposição do CDS conta e continua a ser garantia para o seu eleitorado da defesa do programa com que se apresentou a votos.

domingo, 20 de Julho de 2014

Primeira entrevista

Joana Couto de Sousa, advogada, é a nova presidente da concelhia de Viseu do CDS-PP.
Ligada a causas diversas e ao associativismo, vê a área de intervenção política como acto de cidadania e uma missão inadiável.
Tem ideias novas no seu programa e conta com a união de todos para as implementar, com pragmatismo e energia.
A sua vitalidade e carisma presentificam-se na conversa mantida com o Rua Direita.

domingo, 6 de Julho de 2014

Balanço eleições concelhias!

Caros militantes e simpatizantes

Com a realização das eleições concelhias que hoje, dia 5 de julho de 2014, tiveram lugar na sede, o CDS-PP Viseu vê chegar ao fim um período de vazio de liderança, fruto de circunstancias várias, agora superadas rumo a uma nova dinâmica. Este é um momento muito importante e muito especial para a estrutura do CDS-PP nesta cidade: com efeito, há muitos anos que o partido em Viseu não conseguia tamanha mobilização, o que é desde logo demonstrativo da força que o CDS-PP ganhou nas últimas autárquicas. Podemos afirmar, sem dúvida alguma, que, hoje, os destinos do CDS-PP, em Viseu, bem como os da própria cidade começaram a mudar.

A Comissão Politica Concelhia encabeçada por Joana Couto de Sousa saiu vencedora, a quem se saúda e de quem se espera agora voltar a recolocar o partido focalizado no Concelho, virado para as pessoas e para o interesse público.
A lista derrotada de Carlos Cunha, com uma votação muito expressiva, merece também o apreço pela alternativa democrática que ofereceu aos militantes e pela vitalidade que imprimiu no partido.
O amanhã começa agora e o CDS-PP Viseu conta com todos, militantes e simpatizantes, não para uma política de terra queimada mas sim para apresentar aos Viseenses uma política construtiva, de ideias e de projectos.

Resultados eleitorais de 5 de Julho

Realizaram-se dia 5 de Julho de 2014 das 18h às 20h as eleições para os órgãos concelhios de Viseu do CDS, assim como as eleições para delegados da estrutura concelhia à Assembleia Distrital. 
Dos 184 militantes inscritos com capacidade eleitoral, votaram 66 ou seja, 35,8% do universo eleitoral. Registou-se 1 abstenção o que perfaz um resultado favorável de 99,85%. 
Saiu vencedora a Lista A liderada por Joana Couto de Sousa com 33 votos contra 32 votos registados pela Lista B de Carlos Cunha. 
 Para as demais Assembleias, a lista B registou 34 votos contra 31 da lista A, com uma abstenção. 
A tomada de posse decorrerá brevemente – em hora e local a anunciar - onde serão apresentadas as linhas estratégicas para o mandato.

sexta-feira, 20 de Junho de 2014

Balanço da reunião de Câmara de 19Jun

A reunião de Câmara do passado dia 19 fica, uma vez mais, marcada pela apresentação por parte do Executivo de medidas avulso sem adequado planeamento nem rigor. Numa tentativa de branquear o passado e passivo da Expovis e encontrar solução para o atraso de planeamento sem definição estratégica clara para o evento cultural mais significativo do Concelho, a Feira de São Mateus o Executivo colocou à votação uma proposta de constituição de Associação privada sem fins lucrativos e denominada Marca Viseu que recebeu forte critica e voto negativo do Vereador do CDS presente na reunião, no que foi acompanhado no mesmo sentido pelos vereadores do PS. 
A Associação assim criada, cujos estatutos se encontram feridos de várias ilegalidades não esclarece se a defesa da “Marca Viseu”, fica em exclusivo nesta empresa, ou se é complementar ou concorrente com as instituições que já hoje fazem essa promoção, não se percebendo o que irá o Executivo destinar ao fórum Viseu Cultura, apresentado com tanta pompa e circunstância, como sendo o veiculo capaz de promover a “cidade região” ao terceiro lugar duma qualquer classificação dos quais não se conhece também nem sequer referencial. Por outro lado e numa clara violação da lei a falta o estudo de viabilidade económico financeira – artigo 32º da Lei n.º 50/2012, de 31 de Agosto – diz bem do rigor e do desprezo que o Executivo empresta aos valores da transparência e gestão dos recursos financeiros que o Estado coloca ao seu dispor.